terça-feira, 16 de junho de 2015

Articuladores participam de novos momentos de estudos sobre o xadrez e construção de Jornal escolar


Nessa segunda-feira,15/06/2015, no matutino, na Escola de Formação dos Educadores da rede Municipal de Juazeiro , 17 articuladores se reuniram para troca de experiência e estudos práticos sobre o xadrez.


O encontro foi iniciado com a exposição da experiência da articuladora Mariana Athayde, que vem desde 2012 realizando, no CSU,  o projeto “xadrez uma vez por mês”. A articuladora explicou como trabalha com cada turma e salientou  a importância de trabalhar com diversas atividades, desde o uso de vídeos, figuras para colorir, gráficos, atividades mostrando o movimento das peças, atividades práticas com o jogo de pedras e usando o computador (Gcompris e jogos on-line), dinâmicas de grupos para atender as necessidades dos iniciantes e aos que já têm alguma noção como também para dinamizar o processo.

 A articuladora convidou  o professor Aguinaldo Melo, vice presidente da federação Baiana de xadrez e  professor de Xadrez das escolas Vivência, Saber, Escola Mônica, Colégio Manancial, Educandário Olavo Bilac em Petrolina e do Colégio Decisão de Juazeiro. O professor Aguinaldo apresentou o software swiss perfect Perfect que possibilita organizar torneios e partidas em sala de aula.  Falou um pouco da sua experiência e se colocou à disposição para participar de outros momentos.
Conheça mais sobre o trabalho do professor Aguinaldo acessando o site http://xadrezpetrolina.blogspot.com.br/ .
O encontro foi encerrado com partdas entre os articuladores.


Já no turno vespertino,  a Articuladora Neila mostrou como vem construindo o jornal escolar utilizando o software PowerPoint.


A articuladora, de forma bem clara, deu várias dicas aos seus colegas de como fazer a  montagem do jornal utilizando o software PowerPoint. O projeto Jornal escolar vem sendo desenvolvido pela articuladora desde 2012 e tem envolvido não somente os alunos, mas também a comunidade.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Formadoras vivenciam a criação de atividades com o software Jclic




No final de fevereiro as formadoras da EFEJ foram convidadas pelo o grupo do NTM para assistirem a uma apresentação sobre o software Jclic.  O objetivo foi  conhecer melhor as atividades criadas pelos articuladores, fazer  avalição dessas atividades, bem como buscar desenvolver um trabalho integrado de incentivo ao uso das tecnologias digitais. Vale ressaltar que essas atividades estão sendo usadas pelos alunos da rede municipal de Juazeiro.
A apresentação do software foi realizada pelo articulador de educação tecnológica Miguel Silva que, desde 2012 vem realizando grupos de estudos sobre o software com seus colegas.
JClic é um software gratuito, de código aberto, para criação de jogos e atividades avaliativas educacionais multimídias. É formado por um conjunto de aplicações que permitem desenvolver diferentes tipos de atividades: quebra-cabeças, associações simples e complexas, exercícios de textos, perguntas e respostas, identificação etc.

Os Formadores tiveram a oportunidade de conhecer um pouco do software, ver algumas atividades criadas pelos articuladores e, no final, criaram uma atividade de associação complexa a partir das orientações do articulador Miguel e do auxilio do articulador Marcos José Chagas.

O articulador Miguel aproveitou o momento também  para falar um pouco sobre a possibilidade de criar simulados usando o software  Hot Potatoes.


As formadoras fizeram uma avalição muito positiva sobre o momento vivenciado  e mostraram interesse em estudar o software Jclic. Quanto ao software Hot potatoes vislumbraram em ter na rede municipal  um banco de dados de simulados digitais, que além de ser mais  atrativo para os alunos, a Secretaria de Educação iria economizar pois não mais necessitaria de aplicações de simulados impressos.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Participe de cursos e oficinas que serão realizados pelo NTM no 1º semestre de 2015


O Núcleo de Tecnologia Municipal oferecerá para o 1º semestre de 2015 os seguintes cursos e oficinas:

1. Formação para Professor e outros servidores da rede: Noções básicas para o uso do Linux Educacional - 32h (presencial).

Turma1:  7h 30 às 11h 30   (Quartas-feiras) – Maio.  Prª Carmenlúcia
Turma2: 7h 30 às 11h30  (segundas-feiras - 30/03 a 25/05/2015)  Prª Sônia Guimarães


 2. Formação para Professor,  Coordenador Pedagógico e Gestor Escolar: Introdução à Educação Digital. 60h (Semipresencial).   
 Nas Terças-feiras - (a definir início)     13h 30 às 16h 30   Prª Carmenlúcia

3. Formação para Professor e Coordenador Pedagógico: Oficina de história em quadrinhos utilizando software hagáquê – 7h
13h 30 às 17h   Dias: 01 e 08 /04/2015 (Quartas-feiras)  Prª Sônia Guimarães


4. Oficina de Criação de atividades utilizando o Software Jclic  - 7h para Professor e Coordenador Pedagógico.
13h 30 às 17h   Início:  15/04/2015 (Quartas-feiras) Prª Sonia Guimarães


5. Formação para Professor  - Tecnologias na educação: Ensinando e aprendendo com as TIC – 60h (semipresencial)
Nas segundas-feiras, no matutino.  Início:01/06/2015.  Prª Sonia Guimarães


Além dos cursos citados, a Prª Carmenlúcia ministrará o curso de inclusão digital para a melhor idade. As turmas já estão formadas.

Os cursos e oficinas  serão realizados  no NTM/ EFEJ.

Faça sua inscrição clicando aqui ou pelo telefone 36111139.

Veja o que vai ser abordado em cada curso/oficina:

Noções básicas para o uso do Linux Educacional - 32h (presencial)
Exploração da área de trabalho
Criação de pastas
Formas de armazenamento de arquivos
uso de dispositivos
Exploração do editor de texto LibreOffice Writer
Noções iniciais de uso da internet

Introdução à Educação Digital. Carga horária (60h) – Semi presencial
Introdução à educação digital
Tecnologias no cotidiano: desafios à inclusão digital
Navegação, pesquisa na internet e segurança de rede
Blog: o quê? por quê? como?
Elaboração e edição de textos
Cooperação (ou interação?) na rede
Cooperação pressupõe diálogo
Projeção na sala de aula
Resolução de problemas com planilhas eletrônicas

3.Oficina de história em quadrinhos utilizando software hagáquê – 7 h
Elementos da história em quadrinho;
Criação de roteiros;
Orientações para o uso do editor de histórias em quadrinhos Hagáquê;
Execução do roteiro no editor hagáquê.
Socialização e análise das produções.

4.Oficina de Criação de atividades usando o Jclic - 7h
Noções básicas sobre o software
Exploração de atividades criadas com o Jclic
Planejamento de atividade – desenho didático e banco de imagens
Criação de atividades de memória, associação simples e complexa.

5. Tecnologias na educação: Ensinando e aprendendo com as TIC – 60h
Tecnologias de informação e comunicação na educação
Internet, hipertexto, hipermídia
Currículo, projetos e tecnologias.
Prática pedagógica e mídias digitais

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Articuladores participam de curso de produção audiovisual.



Na semana de 10 a 14 de novembro,  no o NTE 07 de Juazeiro, 9 Articuladores de Educação Tecnológica participaram do curso de produção de audiovisual.  Durante o curso foi dado noções  básicas sobre como fazer uma entrevista, dicas de filmagem e algumas noções de edição de vídeo com software livre kdenlive.

 O curso foi uma realização da  TV Anísio Teixeixa (TV AT), através do Instituto Anísio Teixeira (IAT), por meio da Secretaria de Educação do Estado da Bahia, em parceria com a Universidade Federal do Estado da Bahia (UFBA).

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Escola CSU entrega a premiação aos finalistas do III Torneio de Xadrez


Articuladora fazendo entrega dos prêmios

Vencedores do III Torneio de Xadrez
Nesta quinta-feira, 13 de novembro, a escola organizou um belíssimo  momento para a entrega da premiação dos campeões em Xadrez do torneio de 2014.

O projeto xadrez foi idealizado e desenvolvido por Mariana Athayde, Articuladora de Educação Tecnológica, com apoio de toda equipe escolar e teve a participação de 113 alunos.

No pátio da escola foram reunidos alunos do 3º, 4º e 5º ano, alunos vencedores do turno vespertino, com a presença da direção, coordenação, pessoal de apoio da escola, professores, pais, supervisores da SEDUC, professora do NTM e Coordenador Técnico.

Os alunos vencedores e os outros participaram do momento com muita alegria.

A articuladora vem desenvolvendo, nesses 3 anos,  com muita energia, dedicação, carinho e boa vontade um trabalho que vem fazendo diferença na aprendizagem dos alunos.

Momentos como esse ratifica como o envolvimento de todos que fazem a escola tem fortalecido o trabalho da articuladora e garantido o sucesso do projeto.


terça-feira, 11 de novembro de 2014

Competição através de Jogos estimula aprendizagem dos alunos da Escola Municipal de Tempo Integral Professora Iracema Pereira da Paixao






O Articulador de Educação Tecnológica, Armando Pereira Lopes e a professora de matemática, Maria Madalena Jesus, desenvolveram com muito sucesso, na Escola Municipal de Tempo Integral Professora Iracema Pereira da Paixão, o projeto Educação em jogo: A batalha dos números, com os alunos do 4º e 5º ano.  

O projeto surgiu a partir de observações, durante as aulas de matemática no laboratório, das dificuldades de muitos alunos em ultrapassar etapas de jogos quando  precisava usar  cálculos com multiplicação. Professora e articulador dialogaram e surgiu a idéia de fazer uma competição para que o aluno pudesse, de uma forma mais desafiadora e prazerosa, desenvolver habilidade de cálculo mental envolvendo multiplicação e também a adição.

Para vencer as dificuldades observadas, durante os meses de agosto e setembro, a professora intensificou em sala o trabalho com material dourado, com a tabuada (reforçando a compreensão do significado da multiplicação) e foi buscar na internet estratégias de cálculos. No laboratório, o articulador dava continuidade com situações problemas através de jogos que trabalhavam as  dificuldades observadas, buscando de forma lúdica desenvolver nos alunos uma maior interação com a disciplina e instigar nos mesmos o prazer em aprender.

Durante o projeto foram feitas adaptações que atendessem os objetivos pretendidos.  Começaram a trabalhar com a matemática, mas no decorrer do projeto foram desenvolvendo naturalmente outras habilidades, como o espírito de grupo, linguagem oral em público, o respeito e atenção às regras.

Para valorizar a participação de todos os alunos, dividiram as salas em grupos de 4, formados com alunos que apresentavam mais dificuldades e alunos mais avançados. Em cada equipe tinha um líder, tendo a responsabilidade de estimular o grupo a estudar, pois  cada um tinha seu valor para o bom resultado da equipe. As batalhas aconteceram na sala de aula e eram pontuadas cada partida, até ficar  os grupos com maior pontuação para a final.

Para as disputas entre as equipes  foi utilizado  o jogo de multiplicação da smart kids, onde acontece o sorteio aleatório das operações e são apresentadas 4 sugestões de respostas. Usaram a estratégia de 2 rodadas.  No caso de empate cada líder é quem escolhia o adversário da outra equipe para responder na última rodada, com isso todos tinham que estudar, pois não sabiam quem seria o escolhido.

Para encerramento do projeto reuniram no auditório da escola todas as salas  e para abrilhantar  mais o evento, o professor de música fez uma bela apresentação e teve  homenagem aos professores. A disputa final foi com uma equipe do 4o ano e outra do 5o   ano, sendo a vencedora a do 4º ano.  Foram apresentadas  paródias criadas pela professora de matemática e alunos, envolvendo todo o processo do projeto.

A fala da professora e do articulador mostra o quanto foi significativo esse projeto:

“O interessante é que alguns alunos que sentiam dificuldade ficavam tímidos e  os colegas diziam: - Vai! É assim mesmo! Nós estamos aqui é para aprender. Perceberam que a gente também aprende através do erro. Ninguém sabe tudo.” (professora Maria Madalena Jesus).

“Deu muito certo, vamos ver se no próximo ano expandimos  para o português. O resultado foi muito bom porque não só conseguiu vencer as dificuldades em relação à disciplina de matemática, mas despertar o espírito de liderança, saber perder, saber conviver. Viram que sozinhos não são ninguém.Hoje os alunos vão para o laboratório jogar os jogos de matemática, mesmo tendo a oportunidade de fazer outras escolhas.” (articulador Armando)

O projeto oportunizou o envolvimento de  todos,  instigando a participação, interesse e o estudo,  destacando a relevância dos jogos para o desenvolvimento social, cognitivo, cultural e afetivo dos sujeitos.